Brasil

Mari Ferrer Precisa de Justiça!

Na última terça-feira dia 3 de novembro as redes sociais ficaram movimentadas e não era por menos , a repercussão da sentença do caso de estupro da influencer Mari Ferrer , sentença essa que foi chamada pelos jornalistas de um caso de estupro culposo sendo que o crime culposo está previsto no artigo 18, II, do Código Penal Brasileiro com a seguinte redação:
“Art. 18 – Diz-se o crime: II – culposo, quando o agente deu causa ao resultado por imprudência, negligência ou imprudência.”seguindo nessa linha de raciocínio mais uma vez a vítima foi culpada, na sentença, o juiz Rudson Marcos decidiu que não tinha provas suficientes para a condenação , só a palavra da vítima , e que, na dúvida, era melhor absolver o réu, é triste que as pessoas falam tanto para que as mulheres denunciem , exponham seus agressores e quando elas fazem isso tendo provas , a palavra delas é desmerecida, pleno 2020 um homem deveria ser julgado de acordo com seus atos mais quem acabou sendo apontada e julgada foi a vitima.
Termos mulheres em todos lugares não é mais sobre representatividade é sobre segurança, é sobre empatia é sobre nada mais que vivencia , no país onde acontecem 180 estupros por dia e sua maior parte contra menores de idade é nitidamente retroceder uma sentença como essa , bom ver como a sociedade tem tomado percepção da força que as redes sociais podem ter para casos e situações como essa , ontem logo após o vídeo do julgamento se tornar um viral já tinha hashtag nos trends , já tinha petições e manifestações sendo marcadas para esse fim de semana, mais tudo isso feito e mobilizado por mulheres.
Vamos lembrar que a cultura do estupro é um problema dos homens , não adianta nada levantarmos hashtags , fazer posts bonitinhos se não temos a disposição e a capacidade para mudar atitudes e repreender outros homens em situações como essa , a situação da Mari Ferrer só aconteceu pela concordância de outros homens que se acovardaram e se calaram diante de uma injustiça, que antes de fazer postagens e falar de indignação nós homens possamos entender nosso papel nisso tudo e modifica-lo.
Gostaria de deixar minhas mais sinceras desculpas a todas as mulheres enquanto operador do direito e homem.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo