BrasilCulturaEconomiaEducaçãoInternacional

Carta aberta a todos os movimentos sociais do Brasil, América Latina e países lusófonos

Caros AMIGOS,

A luta que cada um de nós e nós juntos fazemos pra alcançar um patamar mínimo de igualdade de direitos, acesso aos bens culturais e naturais e mesmo o direito à existência (uma vez que em muitos lugares, a exemplo do Brasil, em que há uma sistematização da morte de pobres, negros, mulheres e povos tradicionais), jamais deveríamos discutir uma pauta sequer sem ter à mesa o assunto, assim como os agentes, da educação, mas sobretudo, da compreensão de que sem uma profunda experiência com o mundo da leitura, jamais haverá uma educação transformadora e libertadora dos aguilhões que nos prendem nos círculos da pobreza.

 

     Estou certo que a principal arma do opressor, daqueles que se articulam em busca de estratégias para mais acúmulo de capital às custas da alienação de massiva porção da população, é nos manter longe dos conhecimentos essenciais de acesso aos bens que nossa sociedade conquistou ao duro suor do trabalho das classes trabalhadoras.
Portanto, meu apelo é que jamais haja reuniões sem o incentivo à leitura, seja ela da poesia, seja de legislação, seja de uma séria Teologia, seja leitura de conhecimentos técnicos conforme a realidade e o objetivo que cada reunião ou movimento social possui.
Não podemos mais tolerar que nossas crianças e jovens fiquem longe desse direito, que devido à digitalização massiva de livros, o único obstáculo que resta é tornarmos a leitura algo instrínseco à busca de emancipação de todas as prisões que nos submetem à desigualdade social.
Abraços fraternos de um inconformado com os dados sobre leitura em nosso país.
Professor André Paz- UC/BR RESEX Prainha do Canto Verde Beberibe-CE, Brazil. 05 de fevereiro de 2021

Andre Paz

Graduando em Ciências Humanas - UFMA.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo