Economia

Achou 4,5 mil reais caro? Entenda o preço do PS5 no Brasil.

Foi anunciado há alguns dias, pela fabricante Sony, o PlayStation 5. O preço? 400 dólares nos Estados Unidos e 4,5 mil reais no Brasil. O valor assustou algumas pessoas, principalmente as que não entendem o Brasil.

Há 3 formas de reduzir o valor: a primeira é com uma valorização do real sobre o dólar, a segunda diminuindo os impostos sobre consumo e a terceira é fabricando. E isso não é um jogo de alternativas, dependendo de qual for o projeto para o país, as 3 opções podem ser escolhidas ao mesmo tempo.

Primeiramente olhamos para a cotação do dólar, hoje, dia 24 de setembro, ela está em 5,59 reais, se acontecesse uma louca no mundo e a cotação caísse para 3 reais, o preço do produto cairia.

Agora vamos para os impostos, pagamos 20% de imposto em importação, 1,75% de PIS, 7,60% de Cofins, 22% de ICMS(Estado de SP) e 40% de IPI. Será que é justo pagarmos tantos impostos assim? Claro que não, são impostos que em sua maioria recai sobre a classe baixa e média, mas uma diminuição do imposto sobre bens e serviços teria que vir junto de um aumento de imposto sobre renda, lucro e ganho de capital, que são os impostos que recai mais sobre as classes média/alta e alta, do contrário a conta do país no final do ano não fecharia. Mas ai vem o nosso amigo liberal e fala “Ah, mas no Canadá e nos EUA ele custará o equivalente a 2 mil reais, na Austrália 2,3 mil reais, no Reino Unido 2,5 mil reais”, sabe qual é a resposta para isso? “Vamos comparar a tributação em relação ao PIB, meu amigo liberal”, vamos aos números:

Renda, Lucro e ganho de capital – Brasil 5,9%, EUA 12,9%, Reino Unido 11,5%, Austrália 16%™e Canadá 15,2%.
Bens e serviços – Brasil 15,9%, EUA 4,4%, Reino Unido 10,7%, Austrália 7,8% e Canadá 7,4%.
Cobramos muito pouco da parte de cima da pirâmide e muito da parte de baixo, enquanto nos outros países citados é ao contrário. Meu amigo liberal é a favor de aumentar os impostos sobre renda, lucro e ganho de capital? Eu sou, seria o ideal para diminuirmos os impostos sobre bens e serviços.

Agora vamos falar sobre a fabricação, o PlayStation 5 hoje só é fabricado em 2 países, China e Japão, e é exatamente por isso que eles vão pagar somente o equivalente a 2 mil reais pelo produto, quem fabrica tem suas vantagens. Mas você sabia que tinha um 3° país que também fabricava? E ele era o Brasil, mais precisamente na Zona França de Manaus.

Em agosto de 2010, o PS3 foi anunciado no Brasil, o valor era de 300 dólares nos EUA e 2 mil reais no Brasil, na época a cotação do dólar estava em R$ 1,76. Em maio de 2013, a Sony anunciou que o Brasil iria fabricar o PS3, na época custava 250 dólares nos EUA e 1,4 mil reais no Brasil, a cotação do dólar estava em R$ 2,00, e por começar a ser fabricado internamento o preço do PS3 caiu para 1,1 mil reais. Em novembro de 2010, o PS4 foi anunciado no Brasil, com um custo de 400 dólares nos EUA e 4 mil reais no Brasil, na época a cotação do dólar era R$ 2,32. Em outubro de 2015, o PS4 começou a ser fabricado no país, na época o dólar estava em R$ 3,98, o preço nos EUA era de 350 dólares e o valor do PS4 que ainda estava em 4 mil reais caiu para 2,6 mil reais, uma grande redução.

O PS4 era produzido no Brasil, mas importávamos os componentes da China. Por que? Porque não desenvolvemos a tecnologia necessária para tal. Mas por que tinha redução no preço se continuávamos a importar? Porque a Zona Franca de Manaus tem isenções fiscais de até 88% em imposto sobre importações, 75% sobre IRPJ, 55% a 100% em ICMS e não pagam IPI, PIS e COFINS. Porém, em 2017 a Sony parou de fabricar o PlayStation no Brasil e no mês passado anunciou que vão fechar a fábrica no Brasil em março de 2021, mandando embora na faixa de 250 funcionários. Com isso eles também deixarão de produzir TV, produtos de áudio e câmeras digitais. O fechamento da fábrica é uma clara evidência da baixa demanda do país e de uma economia em recessão e sem perspectivas de melhoras.

Agora imagina se tivéssemos impostos menores sobre consumo, se tivéssemos a capacidade de desenvolver os componentes e a tecnologia necessária para fabricar o PS5 aqui no Brasil, não só para o PS5, mas também para outros eletrônicos, especialmente para marcas nacionais, teríamos preços muito mais justos, não há dúvidas.

Não adianta reclamar do preço do PlayStation 5, da sua TV, do seu carro, do seu celular e de várias outras coisas se você não sabe por onde começar a cobrar. Precisamos de investimentos maciços em educação, ciência e tecnologia, apoio, projeto e planejamento para desenvolver nossa indústria e uma tributação progressiva e justa, onde os ricos paguem mais impostos, os pobres paguem menos e as empresas tenham condições de fabricar produtos mais baratos para o consumidor. Esse é o caminho!

Emerson Cirilo

Estudante de Economia

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo